Colunas

IRRITANTE!! - Ary Júnior Barreiros da Silva

16/08/2016

A forma de gestão do Criciúma, comprovadamente, se mostra ineficaz.  Basta ver o que está sendo feito em 2016. Perda de atletas considerados titulares absolutos e com a respectiva reposição que beira o ridículo.  Jogadores que chegam e ainda vão brigar por vaga no time, tal resultado denota que a política de contratações simplesmente inexiste.  Mais uma vez estão construindo uma torre que, ao final do ano, vai desabar.  O que veremos é um amontoado de rescisões contratuais e o Criciuma ficar sem uma base para o ano de 2017, que aliás, já estamos implorando que comecem a planejar.  Até o momento, nenhum dos jogadores que aportaram pelo Heriberto Hulse mostrou condições explícitas de titularidade.  Assim, percebe-se que a parada de 20 dias não serviu para absolutamente nada.  Esquema tático não há, contratações de impacto ZERO.  Tempo perdido e a classificação já escapa aos sonhos do torcedor tricolor.  São 8 meses já findados do ano em curso e nada de especial aconteceu, a não ser as inexplicáveis demissões/rescisões.  Atletas que chegam e não são relacionados ou não adquirem a titularidade é prova inequívoca que tais contratações são pífias.  Ou Adalgiso Pitbull é titular, ou Gabriel Leite convenceu, ou Hélio Paraíba, enfim cabe enumerar vários e ao fazer isso, a irritação aumenta.   Sem ser profeta do caos, porém, já antecipando que a paralisação e o que se viu nesse período (nada) pouco se espera em termos de uma possível melhora no rendimento do time e, tal condição, empurra Roberto Cavalo para um abismo que ele mesmo buscou se aproximar quando se apropriou do time sob a conivência do presidente que agora deverá “rifá-lo” para tentar ficar em paz com o torcedor.  Tarde demais.

Ary Júnior Barreiros da Silva

Natural de Urussanga (SC). Foi goleiro de futebol de Salão do Benfica – Imbituba-SC  e atleta de handball da CME e Laguna na década de 70. Em Concórdia (SC), onde reside atualmente, atuou como diretor do Concórdia Atlético Clube.  Acompanha o Criciúma desde 1978 quando era aluno da Escola Técnica Federal de Santa  Catarina, em Florianópolis, e as cores do uniforme ainda eram o azul e branco. Nessa época, presenciou grandes atuações do time comandado por Ademir Patrício, Laerte, Serrano, entre outros, fazendo-se assim, torcedor desde então. 

Formado em Direito e Administração de Empresas, Mestre em Direito Internacional. Professor Universitário. Tem programa semanal na 104 FM de Concórdia-SC.  Preside atualmente o Miura Clube de Santa Catarina (Veteran Car) e a OSCIP Ventre Livre na cidade de Concórdia.

 

Entre em contato com este colunista:
aryjrbs@yahoo.com.br