Colunas

Jogo a jogo - Bedeu Fernandes

17/03/2014

No futebol, esporte mais praticado em todo planeta, acontecem coisas como diria meu pai, do “arco da velha”. Outras máximas falam de quem não faz.....leva, ou, não fez? O caminho vem a cavalo e por aí afora.

 A vitória do Criciúma, com placar “alarmante”, 4 a 0, fora de casa, e contra o time que ficou em melhor colocação na primeira fase caiu como uma luva no ambiente tricolor. O time foi a campo para enfrentar o Metropolitano da maneira que seria conveniente, dando campo ao adversário, fechando os espaços e se propondo a jogar nos contra ataques.

 A estratégia do treinador Caio Júnior foi perfeita e colheu os frutos desejados e, num momento de definição dos times que buscam a classificação para a grande final do catarinense.

Competência

 Enquanto os jogadores do Metropolitano ficaram lamentando os gols desperdiçados, e foram muitos nos dois tempos de jogo, os comandados pelo Caio Júnior esbanjaram “competência” na hora da definição. Liderados pelo capitão Paulo Baier, os jogadores do Criciúma criaram pouco, mas, nas oportunidades que apareceram aproveitaram quase todas.

 Em termos de chances foi indiscutível a superioridade do metropolitano, foram 12 contra 6 por parte do Criciúma. Então, convenhamos que, diante da realidade do futebol, a qualidade do Baier fez a grande diferença no jogo.

 Primeiro no lance do primeiro gol em que colocou o Everton na cara do gol para o chute. No rebote o Lucca conferiu e abriu o marcador. No segundo ele apareceu pelo meio e colocou sutilmente a bola entre o goleiro e a trave, 2 a 0. No terceiro colocou a bola na cabeça do Escudero para fazer 3 a 0. E, claro, cansado, deixou o campo já quase no final da partida dando lugar ao Lulinha, autor do quarto gol.

 Posicionamento

 Falar de resultado positivo, após a conclusão do jogo, pode parecer comentário de engenheiro de obra feita. Mas, é importante salientar que o risco em um jogo de futebol é iminente, do início ao fim da partida. Diante disso, a definição do treinador do Criciúma sobre o esquema tático acabou dando o resultado esperado.

 Destaques

 No Criciúma a estrela do time, Paulo Baier, brilhou intensamente e dele saíram os lances definidores do placar. Além do Baier, Galatto mostrou segurança, como sempre, Escudero recuperou-se, Serginho voltou a brilhar, e Lucca ficou bem perto do rendimento do Baier. Os restantes ajudaram, brigaram pelo resultado e merecem respeito e consideração.

 Arbitragem

 Heber Roberto Lopes mais uma vez mostrou que é o número “1” do campeonato catarinense. Com ele o jogo flui, as reclamações diminuem e os resultados, via de regra, saem dentro da normalidade e da competência de cada time.

 Classificação

 Com a vitória do Criciúma o time chega à 7 pontos, portanto, bem mais perto da oportunidade de ir para a grande final. Já o Figueirense se complica com a derrota em casa, 2 a 1 para o Joinville e pode estar vendo sua vaga ir para o brejo, pois poderá ter que decidir sua vaga no último jogo, em Criciúma. 

Bedeu Fernandes

Bedeu teve uma carreira consolidada no futsal. Foi jogador de l970 a l984 e técnico de l987 a 2006 e também se dedicou a ensinar a modalidade em escolinhas de 1990 a 1994. O profissional foi diretor do Próspera e com sua vasta experiência no esporte começou a levar seus conhecimentos à mídia. Foi comentarista da Rádio Difusora, colunista do site Terra e do Jornal Diário de Criciúma. Na televisão Bedeu também marcou presença sendo âncora de dois debates esportivos um deles o Planeta Bola e com participação no programa Dentro da Área. Hoje além de ter sua coluna no site Portal do Tigre é colunista do site futebolsc. 

Entre em contato com este colunista:
bedeu@terra.com.br