Novidades

Argel valoriza chances criadas, mas vê dificuldades na finalização: “Faltou matar o jogo”

12/03/2018

Técnico do Criciúma destaca evolução na criatividade do time, mas quer mais efetividade na frente

 O Criciúma não conseguiu sair com a vitória diante do Tubarão, no Heriberto Hülse, na noite deste domingo. Após largar na frente do adversário, o Tigre sofreu o empate. Apesar disso, o técnico Argel valorizou o volume de jogo de seus comandados.

Em entrevista coletiva, o técnico do Criciúma lamentou o desperdício de oportunidades, principalmente na segunda etapa, enquanto estava na frente no marcador. Para Argel, o time teve dificuldades na finalização das jogadas e poderia ter matado o jogo.

- Pecamos na finalização. Poderia ter resolvido com mais tranquilidade. Se não mata, a bola pune. Estamos buscando a equipe, estreando jogadores, o Zé deu contribuição, correu até mais do que esperávamos, por necessidade, porque levamos o gol. Ele teve oportunidade de fazer o 2 a 1 - disse.

O próximo compromisso do Criciúma é na sexta-feira, às 19h15, diante do Brusque, no Heriberto Hülse.

Confira outros trechos da entrevista coletiva de Argel Fucks:

ANÁLISE DO JOGO

Adversário teve duas bolas na trave no primeiro tempo, segundo tempo a gente teve mais chances. Poderia ter matado o jogo ainda no primeiro tempo, criamos bastante. Faltou matar o jogo. Quando faz 1 a 0, tivemos situações claras. No segundo tempo o Tubarão teve o gol. A rodada do Catarinense foi de muito empate, o único que ganhou foi a Chapecoense. Temos que dar mérito para o Tubarão, jogam juntos há dois anos. É uma equipe de qualidade. Pecamos na finalização. Poderia ter resolvido com mais tranquilidade. Se não mata, a bola pune. Estamos buscando a equipe, estreando jogadores, o Zé deu contribuição, correu até mais do que esperávamos, por necessidade, porque levamos o gol. Ele teve oportunidade de fazer o 2 a 1. Foi um jogo difícil, com equipes jogando para frente.

SUBSTITUIÇÕES

No primeiro tempo colocamos o Enzo no Eltinho porque as jogadas deles eram pela esquerda. Precisávamos controlar isso. Ele tem qualidade, uma chegada boa na frente. O maranhão é uma troca normal, o Élvis ficou abatido ao perder o pênalti, é normal. mesmo assim ele criou, procurou. Colocamos o Maranhão pra ter chute de fora da área, bola parada. Depois o Zé, que a meta era jogar 45 minutos, ele precisa de mais tempo para se preparar, ter ritmo de jogo. Com calma, tranquilidade.

FALHA NO GOL SOFRIDO

O gol do Tubarão é uma falha coletiva. não vamos falar nomes, vamos falar internamente e corrigir. A escalação é o que temos de melhor. Não esqueçam, quando eu cheguei o criciúma estava há um mês e meio na zona de rebaixamento. Estou há 15 dias. Estamos usando os jogadores que temos. Os jogadores que estamos usando são os que estavam e é o que temos de melhor. Preservando as características que os jogadores têm. Barreto e Dodi fizeram boa partida. Conseguimos criar. Foram oito chances de gol. Goleiro deles fez milagre. Não tivemos capacidade de matar o jogo.

TUBARÃO

É um time que sabe o que faz. Com bons jogadores. O esquema tático do Tubarão e Criciúma e encontrou. Nós atacamos muito mais, mas não fomos competentes para matar o jogo.

ATUAÇÃO DE LUCAS COELHO

Meu amigo, é o jogador que temos. O Kalil, o Lucas Coelho. não adianta eu querer colocar o Cristiano Ronaldo, não temos ele. É com esses jogadores que vamos tirar o Criciúma desta situação. Meu objetivo é deixar o clube na primeira divisão do Campeonato Catarinense. O Lucas neste jogo não conseguiu entrar bem, acontece. É com esses que vamos trabalhar e sair da situação.

HOMEM DE REFERÊNCIA

Temos que entender que temos um 9 na área, e agora temos que alimentar esse 9. Se ele tiver três ou quatro chances, vai fazer duas. Temos que produzir para o atacante. Se ele não for alimentado pelo João Paulo, pelo Élvis, pelo Mailson...

Foto: Caio Marcelo/Criciúma EC

Fonte: Globo Esporte / Creditos: