Novidades

Nicolas busca nova história no Tigre e se vê com o perfil do clube: "Jogador aguerrido"

11/04/2018

Depois de uma passagem apagada pelo Criciúma em 2011 - apenas um jogo disputado -, o atacante Nicolas busca uma nova história com a camisa do Tigre. De volta ao clube para a disputa da Série B, o atleta falou sobre a similaridade de seu futebol com a característica da equipe carvoeira. Para ele, isso será importante para deixar para trás a impressão que ficou. Nicolas estava no Caxias, que tem Luis Carlos Winck, ex-Carvoeiro, como treinador.

- Estou muito mais maduro. Aquela outra vez era mais jovem e o clube vivia uma situação delicada. O Guilherme Macuglia me trouxe e depois foi embora. Serve como aprendizado. Vou buscar meu espaço no time para que seja diferente da minha primeira passagem. Sei da força da torcida e da história do Criciúma. O Winck me desejou sorte. Disse que eu me enxaico bem pelo perfil do clube e torcida, que gosta de jogador aguerrido. Eu espero desempenhar meu trabalho da melhor maneira possível por aqui - disse o atleta de 28 anos.


Nicolas disputou 12 jogos no Gaúchão e marcou três gols. Suas atuações valeram uma indicação para o prêmio da seleção do campeonato.


- Fico feliz por ser indicado ao prêmio do Gaúcho. Não fui até lá, pois minha cabeça está aqui. Mas prova que foi um bom campeonato pelo Caxias. Espero dar sequência aqui, mantendo o nível de atuação ao longo da Série B.




"Quando recebe o convite do Criciúma nem tem o que pensar. Tinha outros convites, mas fui chamado pelo Argel e aceitei de imediato. O Criciúma é um dos grandes de Santa Catarina. Estou feliz e quero dar início aos trabalhos"

O atleta busca um espaço entre os 11 para a estreia na Série B do Brasileiro, marcada para sexta-feira, contra o Atlético-GO, fora de casa, às 20h30.

Confira mais tópicos da entrevista

CARACTERÍSTICAS
Sou um jogador de força. Jogo tanto pela direita quanto pela esquerda. Se precisar atuo centralizado, mas minha preferência é pela esquerda. Independente disso, estou à disposição para a escolha do treinador. Gosto do lado, sou um jogador de profundidade. Tenho um perfil mais de servir o companheiro, tanto que não sou muito de marcar gols.



TEMPO PARA TREINAR
É fundamental. Infelizmente o Criciúma não chegou à final do Catarinense. Essa nossa mini temporada é importante. A Série B é longa, com viagens desgastantes. Essas duas semanas servem para a preparação. Fiz 14 jogos nos primeiros meses e depois bateu o cansaço. Por isso, esse período é essencial.



ESTRUTURA
Mudou bastante. O CT está fenomenal. É um CT que muitos clubes do Brasil não tem. Na época tinha o Zé Carlos, além do pessoal do apoio. Ficaram poucos daquele período.



TÍTULO DA SÉRIE B
O Criciúma é um time grande e entra para brigar por título e acesso, seja em qualquer competição. A gente trabalha como temos trabalhado, com comissão qualificada e apoio do clube, estrutura, se depender de nós vamos entrar para somar pontos. É uma competição longa e pontuar nos jogos fará a diferença lá no final.



TREINADOR
O Argel tem um perfil vibrante e sempre ligado. Às vezes eu olho para ele no treino e sinto que a vontade dele era estar em campo. Os resultados vêm por conta dessa intensidade dele. Acredito que é nisso que podemos nos agarrar e esperar para colher os frutos.

Fonte: Globo Esporte / Creditos: Globo Esporte